quinta-feira, 31 de março de 2011

Monte castelo( Legião Urbana)








Ainda que eu falasse a língua dos homens


E falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria.


É só o amor! É só o amor que conhece o que é verdade. O amor é bom, não quer o mal, não sente inveja ou se envaidece.


O amor é o fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer.


Ainda que eu falasse a língua dos homens


E falasse a língua dos anjos sem amor eu nada seria.


É um não querer mais que bem querer; É solitário andar por entre a gente; É um não contentar-se de contente; É cuidar que se ganha em se perder.


É um estar-se preso por vontade; É servir a quem vence, o vencedor; É um ter com quem nos mata a lealdade. Tão contrário a si é o mesmo amor.


Estou acordado e todos dormem. Todos dormem. Todos dormem. Agora vejo em parte, Mas então veremos face a face.


É só o amor! É só o amor Que conhece o que é verdade.


Ainda que eu falasse A língua dos homens E falasse a língua dos anjos, Sem amor eu nada seria.

Voa, coração A minha força te conduz Que o sol de um novo amor em breve vai brilhar Vara a escuridão, vai onde a noite esconde a luz Clareia seu caminho e acende seu olhar Vai onde a aurora mora e acorda um lindo dia Colhe a mais bela flor que alguém já viu nascer E não esqueça de trazer força e magia, O sonho e a fantasia, e a alegria de viver Voa, coração Que ele não deve demorar E tanta coisa a mais quero lhe oferecer O brilho da paixão, pede a uma estrela pra emprestar E traga junto a fé num novo amanhecer Convida as luas cheia, minguante e crescente E de onde se planta a paz, Da paz quero a raiz E uma casinha lá onde mora o sol poente Pra finalmente a gente simplesmente ser feliz. ( Toquinho) Miguel; Nos meus desejos, você será um homem forte e lindo. Mas, acima de tudo. Será um homem que vai correr sem medo para encarar a vida. Talvez eu esteja te acompanhando em cada passo, talvez não. Digo isso, pois muito cedo aprendi o quanto tudo aqui, nesse planeta é muito efêmero. Mas, espero eu, que sim.Deus permita que estejamos juntos, que possamos até correr juntos. Talvez( tenho quase certeza) em algum momento de sua vida, você vai parar essa correria, deitar em meu colo e chorar. Nesse momento , eu vou tentar te explicar, que viver requer maestria. Que nem sempre sorrimos, mas , na maioria das vezes é bom poder respirar.Amar... Aqui, procuro esquecer das muitas coisas que nos fazem sofrer no dia a dia. Fome, guerra, terremotos, mortes, roubos, assim é o dia a dia do planeta que você nasceu. Mas, também temos coisas boas, e são essas que busco aqui expor. Amigos, família,poemas,canções, um lar. Você tem um lar meu filho. Não precisa ser a casa mais linda e chique do mundo, mas é a casa que seus pais te amam. Corra sempre confiante, os olhos meus e do papai estarão sempre observando, te deixando livre nas escolhas, porém conversando, compartilhando. você veio com a missão de ser feliz. Uma criança doce, alegre, inteligente e que nos ensina a cada dia sermos bem melhores. Hoje, corro mais lento para acomapanhar os teus passos. Hoje, escuto mais para entender o teu falar. Hoje, busco compreender um olhar pois muitas vezes você apenas aponta. Hoje, busco alimentar mais ainda meu espírito para poder te mostrar o que vem de Deus. Que é pleno. Então, quero te ensinar a correr cada vez mais , sem medo de nada, apenas com cuidado.E se cair algumas vezes, tente, se tentar subir mais de uma vez, não desista. Você vem e tem um sangue forte, que não desanima rápido. Sempre tente, quantas vezes for preciso. Mamãe . Rio de Janeiro , manhã de chuva. Olhando suas fotos.
video

Nós

Me lembro bem dessa página da vida. Eu , Gabriela ( bem pequenininha) Grasiele. Minhas irmãs e melhores amigas.Dias e brincadeiras, vida calma, cidade do interior. Saudade demais.

O tempo passa, e eu, amadureci rápido demais. Tive pressa demais. Hoje, em muitos dos meus dias e pensamentos em vocês, lamento não ter curtido mais. Vivido mais, brincado até mais tarde. As nossas casinhas de bonecas, os nossos desenhos, o nosso amor. Eu sei, que durante esses 20 anos longe de vocês o nosso amor é simplesmente intocável. Por outro lado, vejo que se fez necessário. Fiz o que me foi pedido pela mãe: Cuidar de vocês.Provi, fiz o que devia ser feito.

A vida caminha e oro para que possamos envelhecer assim, mesmo distantes, mas sabendo que estamos dentro, uma do coração da outra. A vida que insistiu em seguir e hoje, somos todas mães, esposas, netas. Ela: A vó que sempre esteve perto, quanto à mãe foi morar no céu. Assim, eu te dei a noticia Gaby, mainha foi morar no céu. E você não chorou toda empolgada com a família inteira presente. Apenas disse: ela encontrou com painho? É eu não respondi, mas eu acho que encontrou. E com o Emanuel? Mas uma vez eu calei, mas eu também acho que encontrou. Aquele foi o pior ano de minha vida, das nossas vidas. Perdemos nosso irmão, nossa mãe, fazia tão pouco tempo que havíamos perdido nosso pai. É a vida exigia muita força, garra e ao mesmo tempo, Deus nos presenteou com a nossa avó, sempre nos segurando e nos cuidando. . Três anos mais tarde eu me despedia de vocês.

Cidade e vida nova. Orgulho-me das pessoas que somos e de ter encontrado o caminho certo. Muitas vezes, dura demais. Mas sempre, com o coração cheio de amor, no momento e hora que vocês precisarem. Hoje, sonhei com vocês. Gargalhadas, leve, saudade. Que chegue logo um daqueles dias, como no Natal em que possamos nos confraternizar. Filhos, maridos, nós. Acho (nesses momentos) lá do céu, de alguma estrela, eles estão nos olhando, acho que nunca nos deixaram sós. Não tivemos a oportunidade de conviver( como tantas crianças) mas, não somos vítimas, somos guerreiras e mulheres fortes. Nem poderia ser diferente. Temos um exemplo vivo! Essa vó Lia, de olhos cor de mel. Muitas vezes engraçada com seus cabelos despenteados ao acordar e com um repertório sofrido. Mas, com um olhar tão terno e lindo, que me faz agradecer e pensar em ser melhor sempre melhor, para nunca desaponta-la. A gente fala que família não se escolhe, amigos sim. Mas, eu escolheria vocês mais uma vez, da forma que são bem diferentes, mas amadas. Vale dizer, que, penso eu, enquanto viva, para eternizar. Eu amo muito vocês. Sem diferenças, da mesma forma.

domingo, 20 de março de 2011

Meus preciosos momentos

Meu filho, dia perfeito em sua companhia.

Um lição de vida

Psicólogo varreu as ruas da USP para concluir sua tese de mestrado da 'invisibilidade pública'. Ele comprovou que, em geral, as pessoas enxergam apenas a função social do outro. Quem não está bem posicionado sob esse critério, vira mera sombra social.

Plínio Delphino, Diário de São Paulo.

O psicólogo social Fernando Braga da Costa vestiu uniforme e trabalhou um mês como gari, varrendo ruas da Universidade de São Paulo.
Ali,constatou que, ao olhar da maioria, os trabalhadores braçais são 'seres invisíveis, sem nome'.

Em sua tese de mestrado, pela USP, conseguiu comprovar a existência da 'invisibilidade pública', ou seja, uma percepção humana totalmente prejudicada e condicionada à divisão social do trabalho, onde enxerga-se somente a função e não a pessoa. Braga trabalhava apenas meio período como gari, não recebia o salário de R$ 400 como os colegas de vassoura, mas garante que teve a maior lição de sua vida:

'Descobri que um simples bom dia, que nunca recebi como gari, pode significar um sopro de vida, um sinal da própria existência', explica o pesquisador.O psicólogo sentiu na pele o que é ser tratado como um objeto e não como um ser humano.


'Professores que me abraçavam nos corredores da USP passavam por mim, não me reconheciam por causa do uniforme. Às vezes, esbarravam no meu ombro e, sem ao menos pedir desculpas, seguiam me ignorando, como se tivessem encostado em um poste, ou em um orelhão', diz.

No primeiro dia de trabalho paramos pro café. Eles colocaram uma garrafa térmica sobre uma plataforma de concreto. Só que não tinha caneca. Havia um clima estranho no ar, eu era um sujeito vindo de outra classe, varrendo rua com eles. Os garis mal conversavam comigo, algunsse aproximavam para ensinar o serviço.

Um deles foi até o latão de lixo pegou duas latinhas de refrigerante cortou as latinhas pela metade e serviu o café ali, na latinha suja e grudenta. E como a gente estava num grupo grande, esperei que eles se servissem primeiro.

Eu nunca apreciei o sabor do café. Mas, intuitivamente, senti que deveria tomá-lo, e claro, não livre de sensações ruins. Afinal, o cara tirou as latinhas de refrigerante de dentro de uma lixeira, que tem sujeira, tem formiga, tem barata, tem de tudo. No momento em que empunhei a caneca improvisada, parece que todo mundo parou para assistir à cena, como se perguntasse:

'E aí, o jovem rico vai se sujeitar a beber nessa caneca?' E eu bebi.

Imediatamente a ansiedade parece que evaporou. Eles passaram a conversar comigo, a contar piada, brincar.

O que você sentiu na pele, trabalhando como gari?
Uma vez, um dos garis me convidou pra almoçar no bandejão central. Aí eu entrei no Instituto de Psicologia para pegar dinheiro, passei pelo andar térreo, subi escada, passei pelo segundo andar, passei na biblioteca, desci a escada, passei em frente ao centro acadêmico, passei em frente a lanchonete, tinha muita gente conhecida. Eu fiz todo esse trajeto e ninguém em absoluto me viu.

Eu tive uma sensação muito ruim. O meu corpo tremia como se eu não o dominasse, uma angustia, e a tampa da cabeça era como se ardesse, como se eu tivesse sido sugado. Fui almoçar, não senti o gosto da comida e voltei para o trabalho atordoado.

E depois de um mês trabalhando como gari? Isso mudou?
Fui me habituando a isso, assim como eles vão se habituando também a situações pouco saudáveis. Então, quando eu via um professor se aproximando - professor meu - até parava de varrer, porque ele ia passar por mim, podia trocar uma idéia, mas o pessoal passava como se tivesse passando por um poste, uma árvore, um orelhão.

E quando você volta para casa, para seu mundo real?

Eu choro. É muito triste, porque, a partir do instante em que você está inserido nessa condição psicossocial, não se esquece jamais. Acredito que essa experiência me deixou curado da minha doença burguesa.
Esses homens hoje são meus amigos. Conheço a família deles, freqüento a casa deles nas periferias. Mudei. Nunca deixo de cumprimentar um trabalhador.
Faço questão de o trabalhador saber que eu sei que ele existe.
Eles são tratados pior do que um animal doméstico, que sempre é chamado pelo nome. São tratados como se fossem uma 'COISA'.


*Ser IGNORADO é uma das piores sensações que existem na vida!


Amigos, é difícil ser diferente. Não é fácil.

O que o psicólogo fez foi uma troca de papel. Ele sentiu o que o outro sente, viveu um pouco o que o outro vive. Foi o grande beneficiário de sua experiência. Se tornou uma pessoa melhor e mais sensível.

E ofereceu uma oportunidade para que cada um reflitamos sobre o que somos na REALIDADE. Na realidade e não em nossos discursos de amor e respeito.

Parabéns ao pesquisador.

"Nossa mente segue o que está condicionada. Nós agimos como cegos e insensatos até recuperar a liberdade de ser e sentir. E, isto não se recupera com palavras bonitas".

terça-feira, 15 de março de 2011

Ele em nós


E não importa o que muita gente acha, muitos criticam a minha maneira de acreditar em ti. Muitos me acham sonhadora e cheia de poesia.
Não me importa realmente, pois eu sei que és Deus.
Quando vejo essas imagens, as tragédias e as explicações terrenas e científicas( concordo, pois estudei e cresci em um mundo que para as coisas físicas existe uma lógica)Porém, eu me recordo da primeira lição que ouvi quanto a tua palavra: Eu vim para que tenham vida , eu vim para que tenham amor, eu vim para curar as feridas.
Sabe Senhor, eu sempre me relacionei com a minha forma de crer em ti, buscando muitas vezes perguntas: Porque ? Nem me recordo se esse é o porquê certo, dentro da sua empregabilidade quanto a nossa língua portuguesa. Mas, é por quê?
Pergunto: o que seria de nós homens se não fôssemos tão egoístas?
Se tivéssemos cuidado da natureza que foi presenteada com tanta sabedoria e tanta prosperidade por ti.
Pergunto também, e se nós meros seres humanos, visse a morte de uma forma diferente, uma forma de renascimento e não de dor e despedida?
Viemos pra ti, e somos a tua imagem e semelhança. E tudo que vem do céu, de ti, é belo, sem dor, sem enganações.
Por isso, desde menina, aprendi a diferenciar aquilo que é teu, daquilo que vem dos homens.
O teu amor não se barganha, não se compra, é gratuito.
O teu amor e tuas bênçãos, não se fazem necessário pagar.
Deus, que o Senhor tenha piedade da forma que estamos, mas acima de tudo que o Senhor tenha piedade de quem sofre nesse momento.
Outro dia vi uma criança dizer: Quando eu crescer, eu quero ser matador igual meu pai.
Fruto do meio, é bem verdade.
Mas dias depois, cheia de amor e carinho, e cuidada pela instituição, ela disse: Quero ser músico.
O teu amor, o amor que ensinastes, ele faz milagres.
Que nós, possamos aprender ao menos uma migalha desse amor.
Que essa migalha se transforme em um pão de contentamento.
Que a nossa vida seja mais tua, para que sua luz brilhe em nós.
Hoje, pela madrugada, pensei muito em tua mão sobre mim.
Hoje eu acordei com saudades da tua companhia.
Porque sós aqueles que te deixam entrar verdadeiramente em seu coração sabem:
Desde esse dia, não podemos viver sem ti.
Sem esse amor que renova, mesmo com as tragédias e vida cotidiana fadigada.
Esse amor mostra que para as coisas de Deus, existe um olho espiritual que enxerga onde ninguém consegue ver.
Que esses olhos são abertos para uma oportunidade de comunhão diferenciada.
Quando temos um amigo, quando falamos dirimente com esse amigo, os laços se estreitam. Assim que quero ser, amiga tua, caminhar.
Não creio no Deus que mata, castiga, cobra com ferro e fogo.
Eu creio no pai de amor, que me coloca no colo, enxuga minhas lágrimas, me acalma.
Esse é o Deus que apresento a você.
O Deus vindo de muitas experiências.
Eu vivi esse Deus. Ele me segurou me segura nos braços, sempre. Que ele possa carregar as dores do mundo, que Ele console esses corações.

quinta-feira, 3 de março de 2011

O que a tua alma canta?



A vida, o caminho, as notas.....



Certa vez, escutei alguém dizer: Se plantarmos vento, colheremos tempestades. Se plantarmos trigo, jamais nos faltará o pão.
Fiquei pensando, e tentando dar os sinônimos e entender de fato esses ditados populares.
Tentei colocá-lo mediante as situações em que gostaríamos de mudar, mudar de vida, de situação, de estado de espírito. A FELICIDADE É UMA DECISÂO.
Daí voltamos ao trigo que colhe pão. Aos ventos que formam tempestades.
Como fazermos para não nos depararmos com situações que nos fazem sofrer? E como saber se aquela situação nos foi imposta ou se alimentamos ou plantamos e estamos colhendo amarguras?
Muitas vezes vivemos situações que não mais queremos, por medo de enfrentar a vida, e muitas vezes a nós mesmos.
Existem varias explicações psicológicas para esse comportamento. Costume, dependência, situações que não foram resolvidas. E a pergunta é: porque nós seres humanos temos essas carências a ponto de nos fragilizar tanto?
Entramos em desespero, choramos nos preocupamos e no fundo a solução está bem dentro de nós. Temos um poder imensurável de superação, hoje um dos livros mais vendidos aborda com bases cientificas o quanto poderosos somos, THE SECRET , fala da lei da atração, que podemos trazer para nós e nossa vida tudo o que de fato queremos e que nos faz bem. Tudo o que pensamos pode acontecer. Temos essa sintonia com o universo. È como o ditado, plantamos sentimentos de otimismo , amor, fartura, e colheremos os resultados.A mente constrói e destrói.
Quantas vezes sofremos por alguém ou alguma coisa, e depois descobrimos que na realidade não é nada daquilo. Cabe unicamente a nós, senhores de nossas vidas, a iniciativa de mudar.
Temos que entender quais são as nossas verdades, aquelas que realmente falam dentro de nós. Não as que nos empoem, ou ditam.
A nossa verdade é aquela que grita, chora e implora. A nossa verdade é aquela que realmente nos preenche, sem sorrisos amarelos, ou falsidade.
Não temos que ser políticos quando falamos ao nosso eu, pois mascaras se perdem, e verdades germinam.
E não há nada no mundo, que se compare a sensação de paz, quando de fato a temos.
E, por essa falta de atitude, de mudar, de recomeçar, procrastinamos coisas preciosas em nossas vidas.
Esquecemos que o tempo não espera que a vida é veloz, e que devemos viver como protagonistas e não coadjuvantes .
Como disse o poeta Fernando Pessoa , devemos gastar mais tempo vivendo que sonhando, fazendo que planejando. Pois embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu. E nós, eu e você? Temos algo dentro ou alguma pendência que devemos mudar?
Pessoas são como musicas, qual a melodia e qual a nota de tua vida?
Vamos aprender a ouvir, silenciosamente cada toque, e se preciso for, buscar uma nota que não destoe daquilo que irá nos fazer cantar.

Qual a melodia do teu ser? O que a tua alma canta?

Gardênia Cavalcanti

Saudade de minha infancia

O Pequeno Príncipe foi escrito e ilustrado por Antoine de Saint-Exupéry um ano antes de sua morte, em 1944. Piloto de avião durante a Segunda Grande Guerra, o autor se fez o narrador da história, que começa com uma aventura vivida no deserto depois de uma pane no meio do Saara. Certa manhã, é acordado pelo Pequeno Príncipe, que lhe pede: "Desenha-me um carneiro"? É aí que começa o relato das fantasias de uma criança como as outras, que questiona as coisas mais simples da vida com pureza e ingenuidade. O principezinho havia deixado seu pequeno planeta, onde vivia apenas com uma rosa vaidosa e orgulhosa. Em suas andanças pela Galáxia, conheceu uma série de personagens inusitados – talvez não tão inusitados para as crianças!

Um rei pensava que todos eram seus súditos, apesar de não haver ninguém por perto. Um homem de negócios se dizia muito sério e ocupado, mas não tinha tempo para sonhar. Um bêbado bebia para esquecer a vergonha que sentia por beber. Um geógrafo se dizia sábio mas não sabia nada da geografia do seu próprio país. Assim, cada personagem mostra o quanto as “pessoas grandes” se preocupam com coisas inúteis e não dão valor ao que merece. Isso tudo pode ser traduzido por uma frase da raposa, personagem que ensina ao menino de cabelos dourados o segredo do amor: “Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos”.

Antoine de Saint-Exupéry via os adultos como pessoas incapazes de entender o sentido da vida, pois haviam deixado de ser a criança que um dia foram. Entendia que é difícil para os adultos (os quais considerava seres estranhos) compreender toda a sabedoria de uma criança.

Desta fábula foram feitos filmes, desenhos animados, além de adaptações. Muitos adultos até hoje se emocionam ao lembrar do livro. Talvez porque tenham se tornado “gente grande” sem esquecer de que um dia foram crianças


"As pessoas têm estrelas que não são as mesmas. Para uns, que viajam, as estrelas são guias. Para outros, elas não passam de pequenas luzes. Para outros, os sábios, são problemas. Para o meu negociante, eram ouro. Mas todas essas estrelas se calam. Tu porém, terás estrelas como ninguém... Quero dizer: quando olhares o céu de noite, (porque habitarei uma delas e estarei rindo), então será como se todas as estrelas te rissem! E tu terás estrelas que sabem sorrir! Assim, tu te sentirás contente por me teres conhecido. Tu serás sempre meu amigo (basta olhar para o céu e estarei lá). Terás vontade de rir comigo. E abrirá, às vezes, a janela à toa, por gosto... e teus amigos ficarão espantados de ouvir-te rir olhando o céu. Sim, as estrelas, elas sempre me fazem rir!"

"O Amor é a única coisa que cresce à medida que se reparte".

"O amor não consiste em olhar um para o outro, mas sim em olhar juntos para a mesma direção."

"Foi o tempo que dedicaste à tua rosa que fez tua rosa tão importante."

" Não exijas de ninguém senão aquilo que realmente pode dar."

"Em um mundo que se fez deserto, temos sede de encontrar companheiros."

" Nunca estamos contentes onde estamos."

" Será como a flor. Se tu amas uma flor que se acha numa estrela, é doce, de noite, olhar o céu. Todas as estrelas estão floridas."

"Para enxergar claro, bastar mudar a direção do olhar."

" Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos."

" Sois belas, mas vazias. Não se pode morrer por vós. Minha rosa, sem dúvida um transeunte qualquer pensaria que se parece convosco. Ela sozinha é porém mais importante que vós todas, pois foi a ela que eu reguei. Foi a ela que pus a redoma. Foi a ela que abriguei com o para-vento. Foi dela que eu matei as larvas. Foi a ela que eu escutei queixar-se ou gabar-se, ou mesmo calar-se algumas vezes. É a minha rosa."

" Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas"

" Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós."

" O amor verdadeiro não se consome, quanto mais dás, mais te ficas."

" Só os caminhos invisíveis do amor libertam os homens.

" O verdadeiro amor nunca se desgasta. Quanto mais se dá mais se tem."

"Se alguém ama uma flor da qual só existe um exemplar em milhões de estrelas, isso basta para que seja feliz quando a contempla."

"Se tu amas uma flor que se acha numa estrela, é doce, de noite, olhar o céu. Todas as estrelas estão floridas." (Antoine de Saint-Exupéry)

"ACASO

"Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, pois cada pessoa é única
e nenhuma substitui outra.
Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, mas não vai só
nem nos deixa sós.
Leva um pouco de nós mesmos,
deixa um pouco de si mesmo.
Há os que levam muito,
mas há os que não levam nada.
Essa é a maior responsabilidade de nossa vida,
e a prova de que duas almas
não se encontram ao acaso. "

(Antoine de Saint-Exupéry)



"A civilização é um bem invisível porque inscreve seu nome nas coisas",
E suas últimas palavras antes de embarcar na missão final e fatal: "Se voltar, o que será preciso dizer aos homens?"

Ele escreveria que "durante séculos e séculos a minha civilização contemplou Deus através dos homens. O homem era criado à imagem de Deus. Respeitava-se Deus no homem. Esse reflexo de Deus conferia uma dignidade inalienável ao homem", para concluir que "as relações do homem com Deus serviam de fundamento evidente aos deveres do de cada homem consigo próprio ou para com os outros".

"Havia, em algum lugar, um parque cheio de pinheiros e tílias, e uma velha casa que eu amava. Pouco importava que ela estivesse distante ou próxima, que não pudesse cercar de calor o meu corpo, nem me abrigar; reduzida apenas a um sonho, bastava que ela existisse para que a minha noite fosse cheia de sua presença. Eu não era mais um corpo de homem perdido no areal. Eu me orientava. Era o menino daquela casa, cheio da lembrança de seus perfumes, cheio da fragrância dos seus vestíbulos, cheio das vozes que a haviam animado."


(Antoine de Saint-Exupéry)

Estou evoluindo

O desafio de ser pessoa'. O termo 'pessoa' sempre foi muito usado, principalmente pelos gregos. 'Pessoa', no contexto grego, significa a máscara que o ator usava para interpretar no teatro.Eu tenho que ser eu. Uma pessoa só pode ser pessoa, se ela é dona de si. Nós temos que tomar posse do que somos. Quantas coisas você possui e ainda não tomou posse? O amor é a capacidade de descobrir no outro o que ele ainda não viu que tem. É como se você tivesse uma grande propriedade e não tivesse a capacidade de andar por ela para demarcá-la, e não a conhece na totalidade. Mas aos poucos vai sendo dono daquilo que já é seu.Ser pessoa é ser dono de você mesmo, e saber lidar com seu jeito de ser, de amar, de sentir, de pensar, de ter suas limitações e saber o que você pode. Quantas vezes você se dispôs a ser o que não era, dizendo 'sim' onde era para dizer 'não'? Você não teve consciência do que não podia. É o que Jesus sempre fez com as pessoas. Fazendo-as tomarem posse do próprio território, de si mesmas. 'Eu sou dono de mim, e não abro mão'.Quem é o 'prefeito' de sua 'cidade'? Tenha coragem de dizer aos inimigos: 'Aqui nesta cidade tem prefeito (eu), e aqui não tem lugar para os bandidos. Eu não abro mão do meu território'. E é aqui que Deus trabalha em nós para celebrar a Eucaristia, é para Deus que nos entregamos de novo. Eu sou pessoa, e me recebo de Deus o tempo todo. E Ele diz: "Cuide do que você é. Você não tem o direito de deixar as pessoas lhe roubar". E tem pessoas que te 'devolvem'. A experiência com Deus sempre diz: "Eu lhe devolvo".Não tenha preguiça de conhecer seu 'território' e saber quem você é realmente. O total desconhecimento de si, não pode acontecer. A pessoa que não é 'pessoa', não tem assunto e sabe tudo o que acontece na vida do outro, mas não sabe de si mesma.As pessoas que vivem preocupadas com as novelas da vida, se desgastam com pessoas que nem conhecem. Não é fácil compreender o território humano. Se investigar e conhecer o 'porquê' de algumas reações, o 'porquê' aquela raiva foi tão grande naquela hora, o 'porquê' eu explodi com aquela pessoa... É descobrir o 'porque' do afeto que tenho dentro de mim. Você deixa de ser explosiva demais quando toma posse do que é. Tudo isso porque você está em processo de construção. Deveríamos estar com placas dizendo: 'Estamos em obra, cuidado!' É o seu processo de 'feitura' de ser pessoa.'Não tenha preguiça de conhecer seu ‘território’ e saber quem você é realmente'Enquanto você viver haverá partes deste 'território' para conhecer. Tantas coisas nos foram entregues, mas se elas não vêm à tona, e nem as investigarmos, tudo o que temos dentro de nós fica sem uso. Quanta coisa preciosa você tem dentro de você e não sabe por quê fica só na superficialidade do conhecimento de si? Quando é que você sabe que uma pessoa se ama? Você só sabe que ela se ama quando ela se cuida, quando tem disciplina.Que você não morra com seus valores ‘engavetados’, pois Deus lhe dá talentos para que você os use, e não para deixar guardado.'Eu sou um dom de Deus'. Todos os dias há alguma coisa para você ir atrás e descobrir. Você se recebe de Deus, Ele que me deu esta obra todos os dias. Temos que ser bom naquilo que a gente faz para nos colocarmos à serviço dos que necessitam. Uma pessoa só é pessoa quando se disponibiliza aos outros. Aquilo que recebo de Deus coloco à disposição dos outros. E nisso temos a integração de uma personalidade saudável.Ser pessoa não é só contemplar o que sou e tenho de melhor, mas ser pessoa é descobrir e cultivar o que tenho de melhor para que outros sejam beneficiados. Como Jesus fazia o tempo todo em sua capacidade de se doar e ensinar, é preciso se doar também. É necessário tomar cuidado para outra pessoa não tomar posse do que você é, pois a partir daí você não terá mais domínio sobre o que é seu. Se não sou capaz de tomar conta de mim, perco meus talentos e não me possuo mais. Quantas vezes você foi machucado nesta vida e pessoas lhe roubaram? Quando não me possuo, tenho dificuldade de ser para o outro, e corro o risco de não ser o que devo ser.Estabeleça o seu limite. Seja firme!