segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Gratidão, sabedoria.


Antes de reclamar sobre o sabor dos alimentos, pensar em alguém que não tem nada para comer. Antes de reclamar sobre seu marido ou sua esposa,pensar em alguém que implora a Deus por um companheiro ou parceiro.E quando você está cansado e você reclama de seu trabalho,... Acha da pessoa que está desempregada, os deficientes e aqueles que gostariam de ter um emprego. E quando pensamentos depressivos e para baixo,colocar um sorriso em seu rosto e pense: você está vivo e você ainda está lá.como o sol se põe toda noite, sim, mas não se levantará amanhã para alguns de nós ..





sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Os homens lindos da minha vida

E caminham no maior charme, os homens da minha vida.
O homem que plantou uma semente linda em mim.
A semente que a cada dia, anda, sorri, me chama de mãe e me ensina o verdadeiro sentido do amor, crescimento pessoal.
Sempre aprendi que árvores boas dão frutos bons, sempre serei grata.
Ao criador, a vida, a possibilidade de viver esse momento, essa passagem e ver essa paisagem e suas composições.

O conto das princesas modernas






A cada dia fico mais interessada nas histórias que recebo de muitas mulheres que devido ao tempo que estou no ar, viram de certa forma confidentes amigas e me enviam cartas com suas histórias. É, são muitas e até da vontade de criar um blog especialmente para essas histórias de vida e amores cheios de desilusões, eu poderia da um nome: “O conto das cinderelas modernas”.
Pois bem, são mulheres que lá no fundo, sonharam com o relacionamento perfeito, e por mais que ouvissem de suas amigas, familiares mais experientes elas se recusaram a acreditar que o seu “príncipe” mudaria, ou como li um dia desses: Ele me mostrou quem era, mas eu achei que iria mudar. Coitadinha.
Mas, vamos continuar naquelas que não tem desilusão antes do tão esperado e sonhado dia, antes de ir para a rotina, juntar as escovas, viver unido na saúde ou na doença, na riqueza ou na pobreza e felizes para sempre. Para sempre? Felizes?Conheço também muitas histórias de casais que viveram para sempre, até pela época que não permitia separações, ou pelos bens, ou pelos filhos, morreram juntos e muitos( inclusive conheço um casal muito bem) que viveram mais de 50 anos, sendo uns 30 sem se falar direito.Felizes?
Sempre acreditei no ser feliz por inteiro, sem metades e se for parar sofrer que seja de uma vez, não em dozes , essas matam bem mais rápido que um coquetel forte e completo. Mas, existem pessoas, principalmente mulheres que insistem em situações que já não são saudáveis , já não existe futuro.
Tudo começa assim: A menina nasce, logo cedo pelo instinto , ela começa a brincar de boneca ( sua filha(o) imaginável), é educada e cresce para conhecer um grande amor. Outrora , muitas se guardavam e como um presente , era descoberto apenas no primeiro dia.Com a modernidade, essas meninas saem muito cedo de suas casas, algumas se perdem nos bailes da vida, nas porções mágicas e na esperança de em algum desses momentos de festa o príncipe chegar e calçar o tão sonhado sapatinho.
No fundo, por mais louca e moderna essa cinderela acredita, que seu príncipe vai chegar. Quando ele chega, tudo fica completo, perfeito e a festa para comemorar o tão sonhado encontro é uma mistura de entusiasmo e realização. Então , eu vos declaro príncipe e cinderela ou princesa e sapo?
Em alguns contos, o sapo que vira príncipe, mas em outros, o príncipe começa com o desgaste virar um sapo, quando não um sapão daqueles! E as cinderelas que muitas vezes se casam cheias de glamour , começam a virar as gatas borralheiras. Não dá para se manter princesa, as coisas começam a desmotivar , murchar, minguar.
As noites sussurradas começam a diminuir, os beijos nas despedidas e chegadas são esquecidos, as palavras doces e momentos de carinho ( fora os da cama) ficam cada vez mais escassos e pobre da cinderela que achou que isso iria durar para sempre. Até conheço alguns casais que viveram felizes assim, que se amaram e se entregaram e não mudaram, ambos. Sim, as cinderelas modernas mudam também,acredito que devido ao aborrecimento, a falta do que conheciam e as perguntas constantes: Foi com esse que me casei?Sim foi. Ele estava tão apaixonado, tão envolvido, tão , tão, tão...
O castelo é seu refúgio e ela permanece a maior parte do tempo sozinha, ou sai para o trabalho , cuida dos filhos, cuida do cabelo, das unhas, ler e as vezes se olha no espelho e se sente gorda, não se enxerga mais. Assim, sinto em cada e-mail que leio, com apelos exagerados muitas vezes , principalmente quando fazemos as promoções de transformação do programa que ainda apresento em Pernambuco. Sim, elas pedem socorro ou serão abandonadas.
Mas, príncipes não abandonam ! príncipes salvam!Era pra ser assim, mas na maioria das vezes não é. Esses príncipes falam coisas que ferem, doem, que deixam as cinderelas com a auto estima lá em baixo . coisas que muitas vezes as fazem acreditar que são elas as piores, as culpadas, mal educadas, as que não sabem escutar...Elas choram e lembram daqueles momentos perfeitos, beijos ardentes, promessas e juras de amor. Elas resolvem ficar, até porque algumas estão com a vida nas mãos dos príncipes que juraram amor eterno. Mas , lá no fundo mesmo, elas ficam, pois acreditam na tal felicidade, elas sonham com a família perfeita, mesmo quando ele sai caminhando e a deixa para traz, quando ele sai e não a beija mais.Ela , naquele momento até lembra, quando caminhar sozinha era impossível, quando puxar a cadeira do restaurante para ela sentar era função única dele. Quando enfim, aquele brilho nos olhos era de amor e paixão. Naquele momento ela não quer saber dos temores em seu coração, ela até se culpa e acredita que ela que está unicamente errada. E segue , com o sapatinho na mão, o cabelo um tanto desfeito, as atribuições do dia a dia, as lembranças do seu príncipe e um olhar um tanto terno para o sapo. Afinal, ele é um bom pai, dono de casa. Príncipes? Quem disse que a cinderela acreditava mesmo ? Ela é moderna lembra?

Gardênia Cavalcanti

O teu riso




Tira-me o pão, se quiseres,tira-me o ar, mas não me tires o teu riso.
Tão me tires a rosa,a lança que desfolhas,a água que de súbito brota da tua alegria,a repentina onda de prata que em ti nasce.


A minha luta é dura e regresso com os olhos cansados às vezes por verque a terra não muda,mas ao entrar teu riso sobe ao céu a procurar-mee abre-me todas as portas da vida.

Meu amor, nos momentos mais escuros solta o teu riso e se de súbito vires que o meu sangue mancha as pedras da rua,ri, porque o teu riso será para as minhas mãos como uma espada fresca.

À beira do mar, no outono,teu riso deve erguer sua cascata de espuma,e na primavera , amor,quero teu riso como a flor que esperava,a flor azul, a rosada minha pátria sonora.

Ri-te da noite,do dia, da lua,ri-te das ruastortas da ilha,ri-te deste grosseiro rapaz que te ama,mas quando abro os olhos e os fecho,quando meus passos vão,quando voltam meus passos,nega-me o pão, o ar,a luz, a primavera,mas nunca o teu riso,porque então morreria.


Pablo Neruda













domingo, 9 de outubro de 2011

O amor não acaba, nós é que mudamos

Um homem e uma mulher vivem uma intensa relação de amor, e depois de alguns anos se separam, cada um vai em busca do próprio caminho, saem do raio de visão um do outro. Que fim levou aquele sentimento? O amor realmente acaba? O que acaba são algumas de nossas expectativas e desejos, que são subtituídos por outros no decorrer da vida. As pessoas não mudam na sua essência, mas mudam muito de sonhos, mudam de pontos de vista e de necessidades, principalmente de necessidades. O amor costuma ser amoldado à nossa carência de envolvimento afetivo, porém essa carência não é estática, ela se modifica à medida que vamos tendo novas experiências, à medida que vamos aprendendo com as dores, com os remorsos e com nossos erros todos. O amor se mantém o mesmo apenas para aqueles que se mantém os mesmos. Se nada muda dentro de você, o amor que você sente, ou que você sofre, também não muda. Amores eternos só existem para dois grupos de pessoas. O primeiro é formado por aqueles que se recusam a experimentar a vida, para aqueles que não querem investigar mais nada sobre si mesmo, estão contentes com o que estabeleceram como verdade numa determinada época e seguem com esta verdade até os 120 anos. O outro grupo é o dos sortudos: aqueles que amam alguém, e mesmo tendo evoluído com o tempo, descobrem que o parceiro também evoluiu, e essa evolução se deu com a mesma intensidade e seguiu na mesma direção. Sendo assim, conseguem renovar o amor, pois a renovação particular de cada um foi tão parecida que não gerou conflito. O amor não acaba. O amor apenas sai do centro das nossas atenções. O tempo desenvolve nossas defesas, nos oferece outras possibilidades e a gente avança porque é da natureza humana avançar. Não é o sentimento que se esgota, somos nós que ficamos esgotados de sofrer, ou esgotados de esperar, ou esgotados da mesmice. Paixão termina, amor não. Amor é aquilo que a gente deixa ocupar todos os nossos espaços, enquanto for bem-vindo, e que transferimos para o quartinho dos fundos quando não funciona mais, mas que nunca expulsamos definitivamente de casa.

Martha Medeiros

domingo, 2 de outubro de 2011

Encerrando ciclos






Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos - não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram. Foi despedido do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações? Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu. Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus amigos, seus filhos, sua irmã, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado. Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco. O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora. Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem. Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração - e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar. Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos. Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do “momento ideal”. Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará. Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade. Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante. Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.Sonia Hurtado






sábado, 1 de outubro de 2011

Eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee?

Sábado, preguiça, em casa e o marido com o filhote na praia. Sozinha e pensando.

Sabe aqueles momentos em que se faz necessário parar? Se dar um time para entender melhor o que realmente você quer?

Cabeça longe pelo simples fato de eu saber que: definitivamente não sou de ficar quieta, vendo a vida passar. Porém, com tantas coisas que ocorreram nessa mudança TOTAL de vida, é preciso esse momento meu, renascimento.

Então, pensando em colocar pra fora alguns projetos antigos e parar coisas que ultimamente me aborrecem tanto. ESTOU FALANDO DE VIDA PROFISSIONAL.

Por outro lado, esse momento foi tudo para que eu pudesse sentir melhor o meu filho, ele está crescendo e eu pude acompanhar. Momento mãe.

Momento de ficar com ele.

Sabe uma hora que eu parei e pensei o quanto estou fora da Gardênia que sou? No Rock in rio. Pois bem, estive lá, e não lembrei de levar um celular sequer para fotografar.

Outrora levaria a câmera e faria uma matéria.

Bom, desabafando sobre essa fase e dizendo pra mim mesma que sou como uma águia. DAQUI A POUCO EU APAREÇO COM TUDO RENOVADO. Isso, assim, essa frase já faz bem mais parte de mim.

Beijos

"Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, “Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão”Fernando Pessoa"

Eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee?